Palácio de Versalhes: Historia e Curiosidades

O Château de Versailles, também conhecido como Palácio de Versalhes, é uma das atrações mais concorridas por turistas que visitam Paris. Este grandioso castelo recebe aproximadamente 10 milhões de visitantes por ano, tornando-se um dos pontos turísticos mais populares da França. Versalhes é verdadeiramente imperdível e deve ser incluído no seu roteiro.

Veja tambem: Paris, Guia completo da cidade luz atualizado 2024 para sua viagem!

Considerado um dos maiores palácios do mundo, Versalhes é um tesouro de história, luxo e grandiosidade, apresentando números impressionantes: 2300 salas, 2153 janelas, 60 mil obras de arte, ocupando uma área de 800 hectares que engloba o próprio Palácio de Versalhes, os Palácios Trianon, a Aldeia de Maria Antonieta, além de diversos restaurantes, jardins, parques e lagos. Essa paisagem magnífica está situada a poucos minutos do centro de Paris.

Declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, o Palácio de Versalhes já serviu como casa de caça, residência real e palco de importantes eventos históricos. Atualmente, é um dos museus mais extraordinários nos arredores da capital francesa. Não se limite apenas à visão da deslumbrante Sala dos Espelhos; Versalhes oferece uma experiência muito mais abrangente. Portanto, planeje-se para desfrutar de um tempo significativo neste local incrível!

Palácio de Versalhes

História do Palácio de Versalhes

A história do Palácio de Versalhes remonta ao início do século XVII, quando o jovem Delfim, futuro rei Luís XIII, descobriu a região durante caçadas e, mais tarde, adquiriu as terras para a construção de uma casa de caça na Floresta de Versailles. Iniciada em 1634, essa construção original deu origem ao que conhecemos hoje como o Palácio de Versalhes.

A paixão pela região foi herdada por Luís XIV, que transformou o modesto pavilhão em uma obra-prima, expandindo-o para além de uma casa de campo, tornando-o a residência da família real. A ampliação continuou por décadas até a morte de Luís XIV em 1715, deixando a obra inacabada, apesar dos investimentos significativos.

Com a morte de Luís XIV, a corte mudou-se para Paris, e Versalhes enfrentou um período de abandono. Luís XV assumiu a propriedade, realizou reformas e investiu até sua morte em 1774. Sob o reinado subsequente, de Luís XVI, Versalhes testemunhou o casamento com Maria Antonieta, e ela recebeu o Petit Trianon como presente. Contudo, diante de dificuldades financeiras e protestos populares, o casal real foi obrigado a deixar o palácio em 1789, sendo posteriormente guilhotinado em Paris.

Com a Revolução Francesa, o Palácio de Versalhes assumiu diferentes usos, inclusive como base para uma fábrica de armamentos. Parte das obras de arte da Coroa foi transferida para o Louvre. No início do século XIX, durante o Primeiro Império de Napoleão Bonaparte, o palácio serviu a diferentes propósitos, incluindo o Grand Trianon como residência do imperador e o edifício principal como anexo aos Palácios dos Inválidos, recebendo soldados feridos.

Somente em 1830, sob o reinado de Luís Filipe I, Versalhes recuperou seu caráter real e abrigou um museu dedicado às glórias da França. A partir de 1873, o palácio foi exclusivamente dedicado ao museu e a eventos históricos, como a assinatura do Tratado de Versalhes em 1919, ocorrida na Sala dos Espelhos.

Ao longo dos anos, móveis e obras de arte retirados de Versalhes foram recuperados, agora integrando o espaço aberto ao público para visitação.

Palácio de Versalhes

Como visitar o Palácio de Versalhes

A exploração do Palácio de Versalhes requer dos visitantes tempo e organização, desde a compra do ingresso, que pode ser um tanto confusa, até o momento do passeio, dada a vastidão da área a ser visitada.

Para um tour abrangente por toda a propriedade de Versalhes, é recomendável dedicar um dia inteiro a essa experiência. Se o tempo for limitado, concentre-se na visita ao Palácio de Versalhes e aos seus jardins. Para itinerários mais flexíveis, estenda a exploração até os Palácios Trianon, a Aldeia da Rainha e o Parque de Versalhes.

Aqueles que optarem por percorrer apenas o Palácio e os jardins podem fazê-lo facilmente a pé, demandando algumas horas de caminhada, com oportunidades para breves pausas à sombra. Já os visitantes que desejam abranger toda a propriedade têm à disposição bicicletas e um trem elétrico, que percorrem todo o circuito do passeio, incluindo o Trianon. Vale mencionar que ambos são serviços pagos, sendo recomendado preparar-se para caminhadas mais extensas, caso a opção seja economizar.

Taxas para bicicletas:

  • 7 € meia hora
  • 9 € uma hora
  • 2,25 € a cada 15 minutos extra
  • 19 € por 4 horas
  • 21 € por 8 horas

Taxas para o trem elétrico:

  • 8,50 € por pessoa durante o dia inteiro
  • 4,60 € por apenas uma viagem

A ordem ideal para a visita à propriedade de Versalhes dependerá do horário marcado no ingresso. Se o horário para a visita ao Palácio for no início do dia, a sugestão é seguir para os jardins e demais edifícios em seguida. Caso o ingresso tenha um horário mais tardio, é aconselhável chegar cedo aos jardins para adiantar a visita.

Reconhecemos que é desafiador explorar todas as atrações em um único dia, dada a imensidão de Versalhes e suas numerosas atrações. Em caso de dúvida, priorize sempre o Palácio de Versalhes e os seus encantadores jardins. Para facilitar a experiência, recomendamos o download do aplicativo oficial do Palácio de Versalhes.

Palácio de Versalhes

Interior do Palácio de Versalhes

O Château é a atração central de Versalhes e o principal motivador para a visita de tantos turistas ao local. Com seus 2.300 cômodos espalhados por uma área de 63.154 m², o Palácio de Versalhes constitui um universo excepcionalmente rico, tanto em termos de arquitetura e obras de arte quanto em história.

O ritmo da visita ao interior do Palácio dependerá da extensão do seu interesse em observar os detalhes arquitetônicos, obras de arte, mobiliário e informações históricas disponíveis no local. Tecnicamente, é possível percorrer todos os cômodos abertos à visitação em aproximadamente 1 hora, mas esteja ciente de que será um passeio um tanto apressado.

Ao adentrar o Palácio de Versalhes, você passará por uma sala onde poderá assistir a um vídeo sobre a história do local, proporcionando uma compreensão mais profunda da relevância de Versalhes para a França. Dedique alguns minutos para desfrutar desse recurso, pois enriquecerá sua experiência durante a visita.

Logo após o vídeo, inicia-se a exploração dos diversos cômodos do Palácio. É importante mencionar que os aposentos mais suntuosos, incluindo a célebre Sala dos Espelhos, encontram-se no 2º andar, mais adiante no percurso. Tendo esse conhecimento, não é necessário dedicar muito tempo ao início da visita.

Durante o tour pelo Palácio de Versalhes, você terá a oportunidade de contemplar a Capela Real, diversas salas adornadas com pinturas e obras de arte históricas, os apartamentos da família Real, a sala de coroação e, é claro, a extraordinária Sala dos Espelhos. Vale ressaltar também a Galeria das Batalhas, um extenso corredor com pinturas de dimensões impressionantes.

Para uma prévia do que aguarda pessoalmente, recomendamos conferir a visita virtual ao Palácio de Versalhes e assim se preparar para a riqueza que será explorada in loco.

Galeria dos Espelhos

A Galeria dos Espelhos, também conhecida como Sala dos Espelhos, foi construída em 1678 por encomenda do rei Luís XIV. Este magnífico espaço é o destaque supremo do Palácio, apresentando uma extensão de 73 metros, altura de 10,50 metros e largura de 12,30 metros. A sala é notável por seus dezessete arcos decorados com espelhos, que refletem as elegantes janelas do salão, totalizando 357 espelhos ornamentando o ambiente. Tudo isso é emoldurado por um teto abobadado adornado com belos painéis.

A Sala dos Espelhos serve como elo entre os aposentos do Rei e da Rainha. Além disso, o espaço foi palco de grandiosas festividades na corte, audiências extraordinárias, recepções para embaixadores, bailes e momentos históricos, incluindo a assinatura do Tratado de Versalhes, que marcou o término da Primeira Guerra Mundial. Atualmente, ao longo de todo o ano, a sala continua a ser cenário de uma série de concertos, bailes e atrai milhares de turistas em busca da oportunidade de capturar uma imagem impressionante.

Palácio de Versalhes

Jardins de Versalhes

Em 1661, o rei Luís XIV solicitou a criação dos jardins de Versalhes, que demorou cerca de 40 anos para ser finalizado. Na prática, a área verde segue viva e sempre recebe novos toques e reformas, sendo que a cada cem anos ele deve ser replantado para manter o vigor. O último replantio aconteceu em 1999, devido a uma tempestade que danificou grande parte do espaço. Hoje, o jardim encontra-se em idade jovem.

Os jardins do Palácio de Versalhes são compostos por diversos pequenos ambientes formados por bosques, lagos, árvores, flores, fontes e estátuas, compondo um grande mosaico de belezas naturais e obras de arte. Todo o percurso reserva surpresas, por isso não deixe de visitar cada um dos nichos.

Para facilitar a visita, siga o mapa distribuído na entrada de Versalhes. Ele identifica os principais espaços verdes e o horário de funcionamento das fontes e jardins musicais, com sugestão de rotas para não perder nada dos espetáculos. Você poderá seguir em caminhada por diversos trajetos. Se vale o conselho, desapegue das rotas predefinidas e ande livremente, seguindo o percurso que mais te emocionar. Sempre será lindo!

Parque de Versalhes

O Parque de Versalhes ocupa uma extensão de cerca de 800 hectares, preservando a integração do Château de Versailles em meio a uma paisagem natural, tal como era durante o período de construção. Este parque oferece acesso gratuito todos os dias da semana, ao longo do ano inteiro. É importante destacar que o Parque de Versalhes não deve ser confundido com os Jardins de Versalhes, uma vez que se tratam de espaços distintos, embora vizinhos.

Palácios Trianon

Em busca de maior privacidade e um refúgio longe da movimentada corte francesa, foram erigidos os Palácios Trianon, situados nas proximidades do Palácio de Versalhes. Conhecidos como Grand Trianon e Petit Trianon, ambos os edifícios merecem uma visita devido à sua rica história, beleza arquitetônica e às encantadoras áreas verdes que os circundam.

O Grand Trianon, construído no final do século XVII a pedido de Luís XIV, destaca-se pela presença do lago do Grand Canal, um majestoso vão central que conecta o pátio ao jardim, além de apresentar uma fachada revestida de mármore cor de rosa, conferindo-lhe o título de um dos edifícios mais elegantes da propriedade de Versalhes. Durante a visita, os visitantes têm a oportunidade de explorar os aposentos reais e outros espaços ricamente decorados, bem como apreciar obras de arte que adornam todo o local.

Já o Petit Trianon, favorito de Maria Antonieta, destaca-se pelo estilo neoclássico e suas formas simples. Construído a pedido de Luís XV no final do século XVIII, este pequeno castelo prioriza o jardim e toda a área verde circundante. Durante a visita, os visitantes têm a chance de percorrer todos os cômodos, adornados com mobiliário da época. Atualmente, o espaço abriga um museu dedicado a Maria Antonieta.

Quando ir ao Palácio de Versalhes

O melhor período do ano para quem deseja visitar Versalhes é a primavera no hemisfério norte, entre os meses de junho, julho, agosto e setembro. Nesse período, as flores dos jardins estarão incríveis, o verde bem vivo e o clima será perfeito para um passeio ao ar livre.

Ao visitar Versalhes, saiba também que as fontes e jardins musicais não permanecem ligados o tempo todo, nem em todos os dias do ano. Durante a alta temporada (de abril a final de outubro), o Espectáculo das Fontes Musicais e dos Jardins Musicais acontece às terças, sextas, sábados e domingos, bem como em algumas datas extras, como feriados. Cada fonte tem um horário agendado para funcionar e não permanecem ligadas o dia inteiro. No mapa distribuído em Versalhes, há o horário de cada uma delas. Nos outros dias do ano, as fontes e jardins musicais não funcionam, porém o jardim segue aberto para visitação.

Palácio de Versalhes

Além do espetáculo diurno das fontes e jardins musicais, um espetáculo noturno também acontece nos jardins. O Espetáculo Norturno das Fontes tem ingresso à parte e acontece no período de junho a setembro, sempre aos sábados, das 20h30 às 23h05.

Como chegar ao Palácio de Versalhes

O Palácio de Versalhes encontra-se na cidade de Versalhes, situada a cerca de 20 km de Paris. A forma mais conveniente de chegar ao local é utilizando o trem RER Linha C, que quase alcança a entrada da propriedade de Versalhes. Essa opção é simples e prática. Além disso, é possível optar pelo trajeto de ônibus ou explorar outras alternativas de transporte ferroviário.

Trem de Paris para Versalhes

A maneira mais acessível de viajar entre Paris e Versalhes é utilizar o trem RER Linha C, que parte de várias estações em Paris e faz uma parada na estação Versailles Château Rive Gauche. Após chegar à estação de trem, será necessário caminhar cerca de 1 km até a entrada do Palácio de Versalhes, o que leva aproximadamente 15 minutos. Basta seguir a movimentação dos visitantes para chegar ao destino desejado. O percurso total costuma levar, em média, 1 hora.

É importante observar que o trecho de trem RER entre Paris e Versalhes não está incluído na linha de metrô convencional de Paris, sendo necessário adquirir um bilhete separado antes do embarque. Recomenda-se comprar também o bilhete de ida e volta antecipadamente. Os portadores do cartão de transporte Navigo, válido nas zonas 1 a 4, podem utilizá-lo para esse trajeto sem custos adicionais.

Outras alternativas para quem planeja visitar Versalhes incluem os trens da SNCF que partem da Gare Montparnasse com destino à estação Versailles Chantiers e da Gare Saint Lazare com destino à estação Versailles Rive Droite.

Hospedagem no Palácio de Versalhes

É possível concretizar o sonho de desfrutar de uma noite luxuosa no Palácio de Versalhes. Dentro dos domínios do château, encontra-se o hotel de luxo Le Grand Contrôle, que acolhe visitantes abastados e afortunados, pois garantir uma estadia lá não é tarefa fácil. Com apenas 11 quartos e duas suítes exclusivas, o hotel oferece acomodações dignas da realeza, serviço de altíssimo padrão, instalações de spa, um café da manhã magnífico, além de passeios e acessos exclusivos para os hóspedes. Trata-se de uma experiência cinco estrelas para aqueles que desejam viver como os monarcas franceses.

Embora a oportunidade de se hospedar no Palácio de Versalhes seja reservada a poucos, nos arredores da propriedade, há excelentes opções para quem deseja passar uma ou mais noites na região. Se você já visitou Paris em outras ocasiões ou dispõe de tempo suficiente durante a viagem, escolher uma hospedagem em Versalhes proporcionará a oportunidade de aproveitar tudo o que o Palácio oferece com tranquilidade. Confira algumas sugestões de hotéis próximos ao Palácio de Versalhes.

  • Hôtel Le Versailles
  • Hotel des Lys
  • Novotel Château de Versailles
  • ibis Versailles Château
  • Waldorf Astoria Versailles – Trianon Palace

Dicas finais

  • O Palácio de Versalhes é muito movimentado na alta temporada, principalmente às terças-feiras e finais de semana. O ideal é visitar o Palácio assim que abrir, às 9h, seguir depois para os jardins e então para os Palácios Trianon a partir do meio-dia;
  • Fotografias sem flash são permitidas nos cômodos do palácio, porém bastões de selfie são proibidos;
  • Cuidado com batedores de carteira dentro e fora do Palácio de Versalhes;
  • Há depósitos de bolsas em diversos pontos de Versalhes, onde é possível deixar objetos pessoais e malas cujo tamanho seja inferior ao tamanho da cabine (máximo 46x43x26);
  • Banheiros estão disponíveis em diversos pontos do passeio;
  • Baixe o aplicativo de Versalhes antes da visita.

Confira os 5 hotéis mais reservados por nossos leitores em Paris

  • ibis Styles Paris Meteor Avenue d’Italie
  • citizenM Paris Gare de Lyon
  • Ibis Paris Tour Eiffel Cambronne 15ème
  • Generator Paris
  • ibis Budget Paris La Villette 19ème
Rolar para cima