PUBLICIDADE

0
(0)

Planejar uma viagem internacional pode ser uma experiência emocionante, mas também desafiadora. Desde a preparação da documentação necessária até a organização do itinerário, há muitos detalhes a serem considerados para garantir uma viagem tranquila e sem contratempos.

Neste artigo, você ira descobrir as etapas essenciais para se organizar de forma eficiente e aproveitar ao máximo a sua aventura pelo mundo. Quer você seja um viajante experiente ou esteja embarcando em sua primeira viagem ao exterior, as dicas a seguir ajudarão a tornar o processo de planejamento mais simples e agradável.

Entenda tudo que você precisa saber para se preparar para uma viagem internacional, incluindo dicas sobre documentação, vacinas, dinheiro e mais!

Como se preparar para uma viagem internacional

Passaporte

Quais documentos preciso para viajar para Paris?

O primeiro passo para se organizar para uma viagem internacional é garantir que você tenha toda a documentação necessária. Verifique se o seu destino exige passaporte para turistas brasileiros.

Para países membros do Mercosul, como Argentina e Chile, apenas o documento de identidade (RG) é suficiente. No entanto, apesar de não ter validade, é recomendável que ele tenha sido emitido nos últimos dez anos e possua uma foto atualizada. A carteira de motorista não é aceita para viagens internacionais.

PUBLICIDADE

Se precisar de um passaporte, você pode solicitá-lo no site da Polícia Federal. Lá, você encontrará informações sobre os documentos necessários, poderá preencher o formulário e gerar a GRU para pagamento, atualmente no valor de R$257,25.

Após preencher as informações no site, agende uma data para entregar todos os documentos, tirar foto e cadastrar suas digitais na unidade mais próxima. O prazo estimado para entrega do passaporte é de 6 dias úteis.

Se já possui um passaporte, verifique sua validade. Muitos países exigem que o passaporte tenha validade de pelo menos seis meses, e as companhias aéreas não permitem o embarque de passageiros que não atendam a esse requisito. Confira se é o caso do seu destino e, se necessário, agende a renovação do passaporte no site da Polícia Federal.

Vistos e Taxas

Um visto é um documento que permite a entrada de um estrangeiro em outro país. Existem diferentes tipos de vistos, que variam de acordo com o destino, sendo os mais comuns aqueles que devem ser obtidos antecipadamente e aqueles que são emitidos na chegada, durante o processo de imigração.

A necessidade de um visto depende tanto do país de destino quanto do país de origem do viajante. Com um passaporte brasileiro, é possível visitar 153 países sem precisar de visto. O site Nômades Digitais disponibiliza uma lista completa desses países.

Por outro lado, países como Estados Unidos, Canadá e Austrália, entre outros, exigem vistos para portadores de passaporte brasileiro. Cada país tem um processo específico para obtenção do visto, por isso é importante consultar os sites dos consulados para obter as informações necessárias.

Não deixe para a última hora, pois alguns vistos exigem solicitação presencial e podem levar meses para serem emitidos. Alguns países não exigem visto, mas cobram uma taxa de turismo, como San Andrés na Colômbia ou Punta Cana na República Dominicana. Em Punta Cana, a taxa é paga na imigração, enquanto em San Andrés deve ser paga antecipadamente. Verifique se isso se aplica ao seu destino.

Vacinas

Esse é um item frequentemente esquecido ao planejar uma viagem internacional. Contudo, ele é extremamente importante, e sua viagem pode ser interrompida antes mesmo de começar se você não tiver as vacinas exigidas pelo seu destino.

A vacina mais comum é a da febre amarela, disponível gratuitamente nos postos de saúde. Atenção: se você tomou a dose fracionada, oferecida durante surtos no Brasil, ela não é válida para viagens internacionais! No blog Malas pra que te Quero, há uma lista de todos os países que exigem a vacinação contra a febre amarela.

Para outras vacinas ou para saber quais são específicas para o seu destino, consulte o site da ANVISA.

Após tomar a vacina necessária, é fundamental obter o certificado internacional de vacinação, que comprova para outros países que você foi vacinado e em que data. Este certificado é emitido gratuitamente nos postos da ANVISA. Basta agendar um horário no site, levar um documento de identificação e o comprovante de vacinação. Se possível, leve também um documento que comprove sua viagem para um país que exige a vacina, como a confirmação da passagem.

Para a vacina contra a COVID-19, agora exigida por praticamente todos os países, é necessário ter tomado todas as doses recomendadas e emitir o certificado em inglês ou na língua do país de destino. Você pode emitir esse certificado através do app ConnectSUS. Durante a pandemia, verifique também se é necessário realizar algum teste específico para entrar nos países que você pretende visitar.

Seguro Viagem

Acidentes podem ocorrer a qualquer momento, inclusive durante uma viagem. Por isso, ao se preparar para uma viagem internacional, é crucial contratar um bom seguro viagem, que pode oferecer assistência em qualquer emergência.

Em alguns países, como os integrantes do Tratado de Schengen (França, Reino Unido, Espanha, Grécia, entre outros), o seguro é obrigatório e pode ser solicitado na imigração. Não vale a pena arriscar a sua viagem para economizar nesse item, especialmente porque os preços são geralmente acessíveis.

Para destinos como os Estados Unidos, onde os custos de saúde são elevados, o seguro não é obrigatório, mas é altamente recomendado. Uma consulta rápida em uma clínica para obter uma receita de antibióticos, por exemplo, pode custar centenas de dólares. Com o seguro, você entra em contato com a central, que indica onde ir e cuida de toda a burocracia e dos custos financeiros por você. Na maioria dos casos, não é necessário pagar nada no momento da consulta.

Os seguros viagem modernos também oferecem cobertura para situações como extravio de bagagem, atrasos e cancelamentos de voos.

Eu costumo comprar com a Seguros Promo, que compara o preço entre as principais seguradoras. Os preços começam em R$9 por dia para destinos internacionais, e você pode pagar parcelado em até 12x no cartão de crédito.

Moeda Local

Qual é a moeda usada na França? Tudo o que você precisa saber!

Como o Brasil é o único país que utiliza o Real, será necessário trocar dinheiro pela moeda do país que você visitará.

A maneira mais prática de fazer isso é em uma casa de câmbio. O dinheiro em espécie tem um imposto menor e geralmente oferece uma taxa de conversão mais favorável do que os bancos. Outra opção é trocar apenas parte do seu orçamento em dinheiro e utilizar cartões de crédito, pré-pagos ou até abrir uma conta digital em plataformas como a Wise, que oferecem taxas de câmbio mais vantajosas.

Para alguns destinos, como Santiago do Chile ou Buenos Aires, o câmbio é mais vantajoso no exterior. Nesses casos, recomendo trocar apenas uma quantidade pequena de reais por aqui, caso seja necessário pagar um táxi até a sua hospedagem, por exemplo, e deixar para trocar o resto do seu dinheiro quando chegar. Preferencialmente fuja das casas de câmbio nos aeroportos, pois elas costumam ter os piores preços.

Para aqueles que tem moedas fortes, como dólar americano ou Euro, é melhor trocar seu dinheiro antes de sair do país.

Pessoalmente eu levo pouco dinheiro em espécie, e utilizo o cartão de crédito sempre que possível. Apesar do IOF de mais de 6%, gosto dessa opção para acumular milhas.

Idioma

Não se preocupe, não é obrigatório saber o idioma do seu destino.

Embora seja útil falar a língua local, é possível se virar falando apenas português. Em países de língua espanhola, por exemplo, pedir para falarem mais devagar geralmente facilita a compreensão devido à semelhança com o português. Em lugares com idiomas muito diferentes, é uma boa ideia anotar algumas palavras e frases úteis como “por favor”, “obrigado”, “estou perdido”, “preciso de ajuda”. Para quem gosta de fazer compras, aprender a perguntar “quanto custa” também é útil.

Se você gosta de tecnologia, pode baixar aplicativos como o Google Translate. Com ele, você pode digitar frases, tirar fotos de placas ou embalagens, e até desenhar palavras se o alfabeto for muito diferente (como no caso do grego ou do tailandês, por exemplo).

Para quem prefere métodos tradicionais, existem guias de conversação de bolso feitos especialmente para viagens. Os da Publifolha são ótimos e estão disponíveis em idiomas como inglês, espanhol e francês.

Veja aqui uma artigo onde falo a importância sobre aprender Francês

Deixo aqui 2 recomendações para Começar aprender Francês do zero ao avançado.

Segurança

Ao se preparar para uma viagem internacional, é essencial pesquisar sobre seu destino e as atrações que deseja visitar.

Se estiver viajando sozinha, sem um grupo ou amigos, é importante também se informar sobre a segurança do local. Descubra com antecedência se é seguro sair à noite sozinha ou se é melhor reservar parte do orçamento para transporte seguro, como Uber.

Pesquise sobre os bairros e a região onde você vai se hospedar, e leia relatos de outros viajantes. Ouça aqueles que já têm experiência e conhecem o país que você vai visitar. Lembre-se de que, embora viajar sozinha possa parecer perigoso para alguns, a realidade é geralmente mais segura do que se imagina.

Informe-se com antecedência sobre os lugares onde você deve redobrar a atenção. Também é útil ler sobre golpes comuns em destinos turísticos, como em cidades europeias como Paris.

Clima

O que fazer em paris no inverno?

Se os estados brasileiros já apresentam climas variados, não é surpresa que isso também ocorra em outros países.

Ao planejar uma viagem internacional, pesquise sobre o clima do seu destino. Não presuma que, só porque é verão, a temperatura será de 40°C, como pode acontecer no Brasil. Em várias viagens, já encontrei temperaturas de 10°C na estação mais quente do ano.

Um excelente site para obter informações não apenas sobre temperatura, mas também sobre chuvas e outros fenômenos climáticos, é o AccuWeather. Além da previsão para os próximos dias, ele fornece dados históricos de temperatura para cada mês dos anos anteriores, ajudando você a se preparar adequadamente.

Transporte aéreo e imigração

Se você nunca teve experiência em viagens de avião ou nunca voou para fora do Brasil, é importante estar ciente de algumas regras específicas que se aplicam apenas a destinos internacionais.

Primeiramente, é aconselhável chegar ao aeroporto pelo menos 3 horas antes do horário de partida do voo. Isso garantirá tempo suficiente para realizar o check-in (alguns destinos não permitem o check-in online), despachar bagagens e passar pela segurança.

Na bagagem de mão, lembre-se de que não são permitidos líquidos em embalagens com mais de 100ml, e todos os líquidos devem estar acondicionados em um saco plástico transparente tipo ziplock. Embora muitos aeroportos não cobrem essa exigência do ziplock, alguns mais rigorosos, como o de Londres, podem causar problemas se você não estiver preparado. É melhor não arriscar.

Durante o processo de imigração, dependendo do destino, você pode apenas escanear seu passaporte e visto ou pode precisar passar por um guichê com um agente de imigração. Mantenha a calma e tenha em mãos todos os documentos que comprovem que sua viagem é para turismo, como reserva de hotel, bilhete de volta e seguro viagem. Não se preocupe, pois os agentes de imigração estão acostumados a lidar com turistas que não falam o idioma do país.

Se você estiver fazendo conexão em um país diferente do seu destino final, mas ainda dentro do mesmo país de chegada (por exemplo, chegando nos Estados Unidos por Miami e pegando um voo para Orlando), será necessário retirar suas bagagens e despachá-las novamente. No entanto, se sua conexão for em outro país, as bagagens serão encaminhadas diretamente para o aeroporto de destino final.

Roteiro

Descubra neste guia as melhores experiências que a Cidade Luz tem a oferecer. Paris é um dos destinos mais icônicos do mundo, repleto de cultura, história e beleza. Se você está planejando uma viagem à capital francesa, não pode perder essas dez atividades imperdíveis que tornarão a sua estadia em Paris memorável e cheia de momentos incríveis.

Você não precisa seguir seu roteiro à risca, e é bom estar ciente de que é provável que você não consiga cumprir todo o planejamento, já que imprevistos podem surgir. No entanto, sugiro elaborar um roteiro para identificar o que é imperdível em seu destino, ter uma ideia de como se deslocar entre as atrações e planejar o que fazer a cada dia da viagem. Acredite em mim, voltar para casa e descobrir que perdeu algo incrível é decepcionante.

Veja aqui um post sobre O que fazer em paris em 2024, Roteiros completos sobre o que fazer na Cidade Luz!

Eu geralmente elaboro meu roteiro em uma planilha no Google Sheets, listando primeiro as principais atrações e depois agrupando aquelas próximas para visitar no mesmo dia. Não gosto de planejar demais e reservo tempo para fazer o que der vontade também. No blog, tem um post sobre como montar um roteiro.

Além disso, não tenha receio de abrir mão do seu roteiro. Às vezes, especialmente quando estamos viajando sozinhos, surge uma oportunidade legal com outras pessoas do hostel, ou algo interessante que não foi encontrado nas pesquisas. Se tiver vontade, deixe o roteiro de lado, não há problema. O importante é aproveitar a viagem.

E pronto, agora você já tem uma ideia de como se preparar para uma viagem internacional! Como quase tudo relacionado a explorar o mundo, a chave é pesquisar bastante 🙂

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso de cookies do WordPress by Real Cookie Banner